Osteologia: Esqueleto Axial – Tórax

Definição e Observação

A parte do esqueleto axial que forma a região chamada de tórax é formada pelas vértebras torácicas, costelas e pelo esterno. Sim, apenas eles! As vértebras torácicas já foram discutidas no resumo da Coluna Vertebral.

Costelas

Costelas

  • a costela se articula com o esterno por meio da cartilagem intercostal;
  • há no total 7 pares de costelas verdadeiras (que se inserem no esterno). Da oitava costela até a décima, nós chamamos de costelas falsas, porque a cartilagem intercostal não se insere no esterno, mas ela se liga à cartilagem intercostal da costela de cima! O décimo primeiro par e o décimo segundo par das costelas são chamadas de falsas costelas, porque não tem conexão nem com o esterno e nem com as costelas superiores.

Costelas Flutuantes, Falsas e Verdadeiras

  • a extremidade anterior da costela se articula com o esterno, e a posterior com a coluna vertebral;
  • “A cabeça da costela é um tanto expandida e tipicamente apresenta duas faces articulares separadas por uma crista. A face superior menor articula – se com a fóvea costal inferior no corpo da vértebra acima, enquanto a fóvea inferior maior articula – se com a fóvea costal superior de sua própria vértebra” (Gray’s Anatomia para Estudantes; p. 121);
  • Outros acidentes anatômicos importantes desse osso são: colo da costela, tubérculo da costela (tem uma parte articular – articula com a fóvea costal correspondente no processo transverso da vértebra associada – e tem uma parte não – articular – é áspera por causa de fixações de ligamentos). Tem ainda o ângulo da costela e o sulco da costela.
  • OBS: a primeira costela, a partir de sua articulação com a vértebra TI, ela se inclina inferiormente até sua fixação ao manúbrio do esterno. Ela possui apenas uma superfície articular, pois a cabeça articula – se com o corpo da vértebra. Essa costela tem o tubérculo do músculo escaleno maior. O sulco anterior é causado pela veia subclávia e o sulco posterior é causado pela artéria subclávia.
  • Um ponto clínico interessante das costelas é que elas podem ser vítimas de fratura durante o processo de RCP (ressuscitação cardiopulmonar);

Esterno

Esterno

  • no manúbrio do esterno, tem a incisura jugular que é facilmente palpável. De cada lado dessa incisura, tem uma grande fossa oval para articulação com a clavícula (incisura clavicular). Ainda no manúbrio, temos também a incisura costal I para articulação com a primeira costela. A incisura costal II fica “dividida” entre o manúbrio e o corpo do esterno.
  • O corpo do esterno é onde ficam as incisuras costais II até a VII (que fica dividida entre o corpo do esterno e o processo xifoide). Tem no corpo do esterno as cristas transversais.
  • O processo xifoide é a menor parte do esterno. Nele fica um pedacinho da incisura costal VII.
Referências
DRAKE, R. et alli; (2005). p. 120 a 123. Gray's Anatomia para Estudantes. 3a tiragem.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s