Fisiologia da Olfação

Receptores Olfatórios

  • as células olfatórias são as receptoras para os odores. Elas ficam intercaladas com as células de sustentação.
  • no ápice das células olfatórias ficam os cílios olfatórios, ou pelos olfatórios, e são eles que capturam o odor e estimulam as células olfatórias. Há ainda as glândulas de Bowman que secretam muco.
  • as substâncias odorantes entram pelas narinas e se difundem pelo muco, e assim ativam os cílios olfatórios.
  • a substância odorante tem que ser volátil, pra entrar na narina, hidrossolúvel, para dissolver no muco, e um pouco lipossolúvel, por causa das membranas dos cílios.
  • as substâncias odoríferas fazem ativar o complexo da proteína G. Daí, no lado intracelular das células olfatórias, várias adenilil ciclases são ativadas, formando muitas moléculas de AMPc.
  • os AMPc induzem a abertura de uma quantidade de canais de sódio muito maior. Essa grande abertura é a responsável pela sensibilidade grande de neurônios olfatórios, mesmo que a quantidade de substância odorante seja pequena.
  • a maioria das substâncias odorantes induz a despolarização da membrana da célula olfatória.

Transmissão da Informação do Olfato

  • um grande número de fibras nervosas centrífugas trafega das regiões olfatórias do encéfalo ao longo do trato olfatório, e terminam próximas às células inibitórias especiais no bulbo olfatório, as células granulares.
  • depois de estimular o SNC, começa feedback negativo para suprimir os sinais vindos do bulbo olfatório.
  • as sensações olfatórias detectadas são: cânfora, almiscarado, floral, hortelã, etéreo, irritante e pútrido. Mas, há ainda 100 sensações olfatórias primárias classificadas.
  • a olfação está mais relacionada à detecção da presença ou ausência de substâncias odorantes, do que a detecção quantitativa de suas intensidades.
  • o trato olfatório se divide em 2 vias: uma vai para a área olfatória lateral, que é aferência para o sistema olfatório menos antigo, e também para o recente. A outra via vai para a área olfatória medial, que é a aferência para o sistema olfatório mais antigo.
  • área olfatória medial: responsável por resposta primitivas como lamber os lábios, salivar, ou outras respostas associadas com os estímulos olfatórios.
  • área olfatória lateral: composta por -> córtex pré-piriforme, córtex piriforme e pela porção cortical do núcleo amigdaloide. As vias dessas áreas penetram no sistema límbico, principalmente em áreas menos primitivas, como o hipocampo, que é relacionado ao aprendizado de gostar ou não do alimento. Há outras vias que se projetam para a área mais antiga do córtex cerebral, o paleocórtex (porção ântero-medial do lobotemporal). Essa é a única área que os sinais sensoriais passam diretamente para o córtex, sem passar pelo tálamo.
  • o sistema recente serve para perceber e analisar conscientemente o odor.
Referências
GUYTON & HALL; (2006). 667 a 670. Tratado Fisiologia Médica. 11a Edição. Elsevier.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s